logo obercom
Newsletter Observatório da Comunicação n.º 81 Julho 2014
5540 subscritores
Agenda

Sugestões Obercom

A Threat to Internet Freedom, trabalho jornalístico em vídeo, publicado no The New York Times, reúne diversas opiniões a propósito das sugestões apresentadas pela Federal Communications Comission (FCC) ao nível da neutralidade da rede. Ainda no âmbito da investigação desenvolvida pela Propublica, relativa a ameaças à privacidade online, sugerem-se dois artigos desta publicação: Privacy Tools: How to Block Online Tracking e ainda It's Complicated: Facebook's History of Tracking You.

Através do Nieman Lab, em The newsonomics of European crowds, funding new news conhecem-se casos em curso de startups, na área dos media, que se apoiam nos seus consumidores enquanto elementos decisivos na estratégia de financiamento destes projectos editoriais.

A revista portuguesa online Gatescope organiza a informação mais relevante do sector da publicidade nacional, através da compilação de dados quantitativos desde os últimos cinco anos até ao presente. A novidade da edição de 2014 reside no facto de, pela primeira vez, se disponibilizar informação sobre o investimento em publicidade em suportes digitais, a preços de tabela.

O Tow Center partilha os principais resultados da pesquisa desenvolvida em torno do user-generated content (UGC) e do seu emprego no contexto de oito canais como a Al Jazeera Arabic, Al Jazeera English, BBC World, CNN International, Euronews, France 24, NHK World e TeleSUR. Do visionamento de 1100 horas de televisão e de 2254 páginas das respectivas edições online resultou o relatório A Global Study of User Generated Content in TV And Online-News Outoput.

A Nielsen averiguou o consumo crescente de Video On Demand (VOP) nos EUA, num contexto em que a penetração de dispositivos digitais não para de aumentar, o que permite que os conteúdos cheguem aos consumidores pelos mais variados meios; acompanhe o fenómeno em More of What We Want. Por seu turno, os resultados do estudo da TNS, Conneted Life revelam-se coincidentes: não obstante a centralidade da televisão na vida dos consumidores, a busca de conteúdos vive um processo de ampliação nas mais diversas plataformas.

Livros

capa_livro

Digital Skills
Unlocking the Information Society

Jan A. G. M. van Dijk, Alexander J. A. M. van Deursen
Palgrave Macmillan

capa_livro

O Que é Que os Famosos Têm de Especial?
A cultura das celebridades e os jovens

Ana Jorge
Texto

capa_livro

The Value of Public Service Media
Gregory Ferrell Lowe; Fiona Martin (eds.)
Nordicom

capa_livro

Society and the Internet
How Networks of Information and Communication are Changing Our Lives

Mark Graham e William H. Dutton (Eds.)
Oxford University Press

capa_livro

Contemporary Television Series
Narrative Structures and Audience Perception

Valentina Marinescu, Silvia Branea, Bianca Mitu (eds.)
Cambridge Scholars Publishing

capa_livro

Piracy: Leakages from Modernity
James Arvanitakis e Martin Fredriksson (eds.)
Litwin Books

capa_livro

New Cinema, New Media
Reinventing Turkish Cinema

Murat Akser, Deniz Bayrakdar (eds.)
Cambridge Scholar Publishing

capa_livro

Reverse Engineering Social Media
Robert W. Gehl
Temple University Press

capa_livro

Making News at The New York Times (The New Media World)
Nikki Usher
The University Of Michigan Press

capa_livro

Kids On Youtube
Patricia G. Lange
Left Coast Press Inc.

Revistas da área da Comunicação

Eventos Nacionais

Eventos Internacionais

Creative Commons License
 
 

Editorial

tag_cloud 

Estudo OberCom

capa_estudo

Estudo OberCom: Barómetro da Comunicação de 2014

O Barómetro da Comunicação, na sua 10ª edição, é o estudo aqui proposto: - Resulta da análise quantitativa das respostas ao inquérito online com o mesmo nome, feito junto de quadros de direcção de empresas na área dos media em geral, no contexto português. Ao caracterizar os elementos que compõem a amostra reunida em função dos sectores de actividade a que pertencem, confirma-se a presença de titulares de cargos directivos na televisão, imprensa, rádio, internet e novos media. Os resultados assim obtidos exprimem tendências de evolução do mercado da comunicação social em Portugal, na óptica destes inquiridos.

Destaque

Net Threats

O Pew Research Internet Project acaba de publicar Net Threats, relatório que surge no âmbito de uma pesquisa mais ampla, intitulada The Web at 25, levada a cabo para assinalar os 25 anos da World Wide Web.

Toda a pesquisa empírica desenvolvida para estes estudos resulta dos contributos de especialistas (vide canvassing of experts) interessados e ligados às diferentes áreas da internet, desde as ciências computacionais ao marketing, passando pelas ciências sociais, entre outras. O Pew endereçou-lhes um conjunto de questões online e a partir dos seus pontos de vista assim obtidos, delineou o estado da Internet na actualidade e avançando ainda com uma visão prospectiva para a próxima década. E ao nível das suas fragilidades o relatório Net Threats identifica quatro áreas de sob potencial ameaça:

  • A primeira das preocupações dos especialistas prende-se com riscos de interferência dos governos no funcionamento do online, como estratégia de preservação da segurança e manutenção do controlo da situação política nos respectivos Estados. Daí que alguns dos respondentes chamem a atenção para uma tendência crescente de regulação da internet por parte de regimes políticos que já enfrentaram protestos. A Primavera Árabe é apresentada neste contexto como um exemplo do poder da internet para organizar as vozes discordantes, mas também de como os governos a reprimiram a seu favor. O caso da China surge, no entendimento da esmagadora maioria, como paradigmático da designada "Great Firewall". As revelações de Edward Snowden sobre a Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA) são igualmente referenciadas, entre outros casos.
  • Na opinião dos especialistas, a segunda grande ameaça identificada remete para a potencial erosão da confiança por parte dos utilizadores do online à medida que emergem e se multiplicam casos conhecidos de vigilância indevidamente realizada, tanto por governos como por empresas.
  • O terceiro perigo assinalado relaciona-se como o receio de que as pressões comerciais ponham em risco a estrutura aberta da vida online. Do ponto de vista dos especialistas, o aumento da monetização das actividades na internet é passível de enviesar as condições em que os utilizadores poderão aceder à informação no futuro. No entender de alguns dos inquiridos, a questão da comercialização da internet é indicada como o maior dos desafios para o crescimento da internet. Em ligação directa surge a questão da neutralidade da rede, assim como as restrições nas trocas de informação, ao abrigo de patentes e direitos de autor.
  • A quarta grande ameaça indicada pelos especialistas aponta para o TMI - Too Much Information: lidar com o excesso de informação disponibilizada é um fenómeno cada vez mais agudo e que poderá acabar por se traduzir na dificuldade em encontrar conteúdos interessantes e significativos quando se quer, em última instância tornando muito menos fluida a sua partilha efectiva na rede.

©2014 OBERCOM